Lucca Pollini

Happy Cheet — Arte por El Ranno

transpirar até o sovaco ficar encharcado
que calorão nessa terra rachada
ilustres pontos de ônibus sustentam a circulação sanguínea de cidadãos emudecidos
trilhas reformuladas em órbitas de transição levam ao ponto final da estação paradigmática
pegar a antiga linha férrea direto a Paraty
tocar viola na praça
puxar assunto e chamar o síndico e o sindicato
limitação musical partida ao meio
multiplicar por quatro braços tão compridos como uma cobra sucuri
velocidade de dobra no arpeggio quebrado
o som incômodo da melodia impura
respostas sanguessugas de perversos obsoletos sob o feitiço da inveja
resolver as discussões em trinta e dois compassos dois por quatro
abrir a garrafa de licor sabor pequi
adocicar uma relação amarga
cantar numa roda coletiva
sambar sem saber que aprendeu a sambar

--

--